A equipe da Rede Cáritas que está nas Filipinas, superando enormes dificuldades logísticas, consegue que os primeiros materiais para a construção de abrigos temporários cheguem a muitas famílias que perderam suas casas com a passagem do supertufão Haiyan.

Segundo informações enviadas diretamente das Filipinas “após a passagem do tufão, é a primeira vez que milhares de filipinos estão dormindo sob uma proteção, um teto”. Isso só está sendo possível graças a operação de distribuição nas áreas afetadas, especialmente, em Ormoc e Palo, onde 10 mil lonas foram destinadas para abrigos temporários. No dia 25 de novembro chegarão nas Filipinas mais 20 mil, e no dia 29, mais 9 mil lonas.

Mark Mitchell, coordenador da equipe de resposta de emergências enviado pela Caritas Internationalis, informou que em Tacloban chegaram mais 500 lonas enviadas pela Cáritas da Nova Zelândia. No aeroporto de Tacloban a expectativa é grande para a chegada dos caminhões que transportarão as lonas e outros itens de primeira necessidade para as áreas mais remotas da província da Leyte.

Junto a esses caminhões, sobreviventes esperam para serem retirados das áreas afetadas em aviões Hércules colocados à disposição pelas Filipinas, Austrália, Nova Zelândia e Japão. Muitos deles são crianças com os rostos marcados pelo cansaço e pelo trauma vivenciado. Todos precisam não só de comida e refúgio, mas de apoio e tempo para se recuperarem das feridas emocionais.

13 milhões de pessoas afetadas e um milhão de casas destruídas

De acordo com a Caritas Internationalis, a estimativa é que 13 milhões de pessoas tenham sido afetadas pelo tufão. Há quatro milhões de desabrigados e um milhão de casas destruídas.

Mais que materiais para abrigos, a Rede Cáritas e a Igreja local continuam distribuindo outros itens de primeiras necessidades como água potável, comida e roupas. Para isso, a rede conta com a colaboração de muitos filipinos voluntários.

“A solidariedade agora é muito importante”, disse Trixie Suárez, diretora da Escola de Singapur em Cebu, cujos estudantes e professores fizeram uma campanha de arrecadação de fundos e ajudaram os membros da Cáritas local a distribuir alimentos e outros itens a 3.650 sobreviventes em San Remigio e Medellín, ao norte de Cebu. Nestes locais os danos são enormes: árvores arrancadas, casas devastadas, igrejas destruídas, cabos elétricos inexistentes.

Fonte: sitio Cáritas Brasileira

No related posts.