Na busca de sensibilizar a juventude sobre diversas situações de violações de direitos humanos e informar quanto aos instrumentos e entidades que atuam nesse meio, as representantes do Centro de Referência em Direitos Humanos Dom Helder Câmara, a coordenadora Tailaine Costa e a psicóloga Cássia Furtado, participaram da Semana da Cidadania do Cursinho Pré-Vestibular Com-Ciência, um cursinho popular localizado na Vila São Pedro (Xaxim), em Curitiba. A atividade aconteceu na última quarta-feira (25) e contou com a participação dos alunos, professores voluntários e colaboradores do projeto.

“Iniciamos a atividade com questionamentos ao grupo sobre o que são os direitos humanos. Depois fizemos uma breve apresentação sobre o tema, recuperando o histórico e conceituando. Em seguida, dividimos os participantes em vários grupos, cada um recebeu uma noticia relatando um caso de violação de direitos humanos como agressão a um homossexual, preconceito racial, reintegração de pose violenta e a falta de moradia estudantil”, explica a psicóloga Cássia Furtado. Após o debate nos grupos, as noticias foram apresentadas para todos os participantes, destacando quais os direitos violados, fazendo uma discussão coletiva.

“A atividade foi muito produtiva, dando conta de atender aos objetivos propostos. O trabalho com as noticias de fatos reais contribuiu muito para motivar as pessoas a se expressarem e a perceberem a abrangência dos direitos humanos. Em todos os momentos enfatizamos a importância de rompermos com a omissão, denunciando os casos de violações dos direitos humanos e buscando a organização coletiva para a superação desse problema”, conta a coordenadora do Centro, Tailaine Costa.

A questão dos direitos humanos é sempre trabalhada na didática do cursinho, o qual atua de maneira solidária com os alunos e alunas, geralmente moradores da comunidade. O cursinho tem uma atuação de cerca de 15 anos, sempre conduzindo a metodologia de maneira com que o aluno, além de conhecer o modo como são feitas as provas de vestibular, conheça a conjuntura política e social de onde mora, criando um senso crítico. O cursinho preza, muito além da vitória da entrada na Universidade, a atuação em conjunto, mostrando o lado da não-competitividade e da união entre os estudantes.

Por Rafaela Bez, estudante de jornalismo e voluntária de comunicação e Cássia Furtado, psicóloga do CRDH Dom Helder Câmara

No related posts.