Com o intuito de promover um espaço de diálogos que possam contribuir com reflexões e fornecer subsídios para mobilização concreta de diversos setores da sociedade, visando a mobilização pelas vítimas da fome e da pobreza, a Cáritas Brasileira Regional Paraná participou, no último final de semana (22 e 23/11), em Foz do Iguaçu, do I Seminário Internacional da Tríplice Fronteira.

Primeiramente, a discussão foi permeada levando em conta a realidade da cidade de Foz do Iguaçu, que permanece em uma região de tríplice fronteira, dificultando a efetivação de políticas públicas, já que muitas das decisões dependem não só da governança local, mas dos demais países.

Posteriormente, para que o debate fosse pluralizado, houve a participação de diversas pessoas da sociedade organizada, bem como agentes de pastorais. “O primeiro ponto que nos motiva para esta reflexão é o fato de ser colocado ao centro, a vida. A princípio, se percebe que o atual sistema coloca a vida de lado e o que vale é a economia. Precisamos nos colocar em debate para perceber os problemas que o sistema vem provocando”, relata Amauri Mossmann, secretário-geral da Rede Cáritas Regional Paraná.

Com o lema “Não somos mercadoria”, o seminário também propôs ações que pudessem questionar o atual sistema, propondo alternativas ousadas que possam enfrentar essa problemática.

 Por Rafaela Bez, voluntária de comunicação social do CRDH Dom Helder Câmara e Cáritas Paraná

No related posts.