A 14ª Jornada de Agroecologia começou nessa quarta-feira (22) em Irati, Paraná. Cerca de 7 mil pessoas são esperadas para a edição que acontece até sábado (25) no Centro de Tradições Willi Lars. A Jornada tem o intuito de construir um Projeto Popular e Soberano para a agricultura em contrapartida às empresas do agronegócio que exploram o meio ambiente e os/as trabalhadores/as.

A mística de abertura denunciou as práticas do capital enaltecendo o papel da agroecologia como ação direta de combate a esse modelo. Durante todos os dias serão realizados debates, oficinas e noites culturais.

Durante a Marcha pela Agroecologia que aconteceu ao longo da tarde, o prefeito da cidade, Odilon Burgarth, ao saudar os/as participantes, lembrou a fala do Papa Francisco em seu discurso no segundo Encontro dos Movimentos Sociais, na Bolívia: “nenhuma família sem casa, nenhum camponês sem terra, nenhum trabalhador sem direitos, nenhuma pessoa sem a dignidade que o trabalho dá”.

É necessário e urgente denunciar o atual sistema global que impôs a lógica do lucro a qualquer custo, sem pensar na exclusão social nem da destruição da natureza. Esse sistema é insuportável, não suportam os/as camponeses/as, não suportam os/as trabalhadores/as, as comunidades, não o suportam os povos.

 

No related posts.